A Lichia na Dierberger

Segundo Pimentel Gomes em  seu livro  "Fruticultura Brasileira", no Brasil  as primeiras lichieiras  chegaram  em  1810  procedentes  da  China e foram plantadas no Jardim Botânico do Rio de Janeiro e acredita-se que  naquele local  ainda  haja  descendentes  destas  plantas.  Foram  plantas  originadas de sementes e não serviram para desenvolver  cultivos comerciais no Brasil  pois  os exemplares obtidos  por  este  método  de  propagação  demoram muitos  anos  para  iniciar  a  frutificação  devido  à  segregação  e  ainda  variam muito na qualidade dos frutos.
A  empresa  Dierberger que  foi a pioneira na introdução de cultivares de diversas  frutíferas no Brasil  que  até então  propagava  mudas de sementes  das lichieiras  que  haviam  plantadas na Fazenda Citra  em Limeira  sentiu a necessidade  de  procurar cultivares  selecionados desta frutífera que começava a despertar interesse comercial  em  produtores  regionais  devido  às inúmeras qualidades da fruta.
Em  1956  quando  viajou  para  os Estados  Unidos  para  passar  um período  na Flórida  conhecendo  o que  se cultivava  naquele  estado  considerado o mais importante na fruticultura americana, João Ernesto Dierberger
trouxe   as   primeiras  variedades  comerciais  de Lichia em  mudas  obtidas por alporquia,  principal  método de propagação da lichieira até  a atualidade.
As  3  variedades  que   foram   trazidas  foram   Bengal,  Brewster  e Americana , este  último  cultivar  recebeu  este nome  devido ao fato  de ser nome chinês  e  de difícil pronúncia.
ImageAo longo dos anos de atividade frutícola  a empresa Dierberger introduziu  também  outros cultivares  mas  mantém  um carinho especial pela variedade Bengal  que foi  a  responsável  pelo  início do cultivo  comercial  da Lichia no Brasil e a variedade de maior produtividade dentre todas. 
Apesar  de  apresentarem  semelhança entre si os  cultivares apresentam características bem distintas tais como : coloração externa, formato dos frutos, tamanho das sementes, casca mais lisa ou mais  áspera,  alguns  com coloração menos atrativa porém com polpa de qualidade superior, épocas de maturação diferenciadas, alguns com menor alternância  na  produção , etc.
A  seguir  mostramos  os  cultivares  que  temos em nosso jardim clonal   incluindo  as  mais  recentes  que  brevemente  também  estaremos  oferecendo  à nossa  clientela.


Variedades:

AMERICANA : Frutos médios e cordiformes de coloração vermelho-escuro e individuais . Alta incidência de sementes abortadas. Maturação precoce e pouco produtiva.

ImageBENGAL : Frutos grandes e cordiformes de coloração vermelho-brilhante. Cachos com 8 a 30 frutos com sementes grandes. Maturação precoce. A variedade de maior produtividade e a mais plantada no Brasil.

 

 



Tradutor